VACINAÇÃO CONTRA FEBRE AMARELA

CUIDADO COM O TUMULTO
ACONTECEU EM JATAÍ
Gestante procura posto para vacinação regular antitetânica (reforço) e enfermeira aplica-lhe também, erradamente, dupla dosagem de vacina contra Febre Amarela.
(Sérgio Torres)

Um alerta com relação aos serviços de saúde e a ação de vacinação contra Febre Amarela. Já está acontecendo um tumulto nos postos por causa da correria para se tomar a vacina. Em Jataí já foi registrado um desses casos. A senhora Vânia Aparecida Fernandes Pereira (revendedora de cosméticos), em estado de gestação há 20 semanas, procurou a Policlínica (posto de saúde da antiga Osego) para vacinação regular antitetânica (reforço) e acabou recebendo também, e erradamente, dupla dosagem de vacina contra Febre Amarela. Ela, juntamente com seu esposo Aparecido, reclamou junto a Secretaria Municipal de Saúde desse fato que ocorreu no dia 23 de janeiro de 2008.
O CASO - Vânia se apresentou ao balcão de atendimento e entregou à atendente, a receita do médico para aplicação da vacina antitetânica, o cartão de gestante (pré-natal) e o seu cartão de vacinas. Aguardou um pouco e logo foi chamada. Ao chegar na sala de vacinas, uma enfermeira foi logo lhe pedindo o braço esquerdo e aplicando a dosagem. Logo em seguida, a enfermeira lhe perguntou onde ela queria tomar a outra. Vânia, então se assustou porque tinha que tomar apenas uma e perguntou o que havia-lhe sido aplicado. Ao ter como resposta que era vacina contra Febre Amarela, a gestante ficou nervosa porque estava na 20 semana de gestação e seu médico tinha recomendado que ela não tomasse essa dosagem. Isso fora o fato de Vânia já ter tomado a vacina contra Febre Amarela no dia 23 de abril de 2007, logo após o caso das duas mortes (as primeiras do atual quandro do País) ocorridas no município de Jataí.
Tanto a gestante quanto seu esposo estão indignados com o que eles consideram uma grande falta de atenção e responsabilidade da enfermeira ou da atendente. Vânia ainda reclama que, naquele momento, sua pressão elevou-se muito, chegando a medir 16/8 e que, mesmo com essa culpa por parte do posto, ainda não havia recebido sequer nenhum telefonema da Secretaria Municipal de Saúde para saber como ela está passando. Na ficha de registro do caso, o posto ainda tenta se isentar anotando que o equívoco aconteceu por causa de falta de comunicação de ambas as partes, argumento equivocado devido a entrega do cartão de vacinação antes. A gestante está em observação e deverá ter uma nova consulta com seu médico neste dia 2 de fevereiro.

VACINA CONTRA FEBRE AMARELA:

Contra-indicações gerais:
1) Crianças menores de 6 meses de idade são susceptíveis a eventos adversos graves (encefalite);
2) Portadores de imunodeficiência congênita ou adquirida ou neoplasia maligna, como na leucemia ou linfomas. No caso do portadorte de HIV deverá existir indicação médica especifica para sua aplicação.
3) Pacientes sob tratamentos com imunossupressores (corticóides, quimioterapia antineoplásica, radioterapia, transplantados, etc.);
4) Em mulheres grávidas como regra geral nenhuma vacina viral atenuada deve ser administrada na gravidez. Caso não haja possibilidade de adiar o deslocamento para áreas endêmicas, e considerando-se o alto risco de exposição, recomenda-se neste caso a vacinação;
5) Pessoas com história de reação anafilática (alérgicas) após ingestão de ovo.
Situações em que se recomenda o adiamento da vacinação:
1) No caso de doenças febris graves, sobretudo para que seus sinais e sintomas não sejam atribuídos ou mesmo confundidos com os possíveis eventos adversos da vacina;
2) Pacientes em tratamento com medicamento imunossupressor (até três meses após a suspensão de seu uso).
Vacinação simultânea e intervalo entre as vacinas virais:
1) Não há contra indicação em relação à vacinação simultânea com outras vacinas disponibilizadas pelo Programa Nacional de Imunização (PNI) como também não se observa maior incidência de eventos adversos nestas situações;
2) Recomenda-se agendar um intervalo de pelo menos 2 semanas entre as vacinas virais atenuadas (sarampo, rubéola, caxumba), exceto em situações especiais (por exemplo, vacinação de bloqueio contra o sarampo).
Eventos colaterais e adversos:
1) Cerca de 2 a 5 % dos vacinados poderão apresentar após o 6º dia, febre, dor de cabeça;
2) Reações imediatas de hipersensibilidade são raras (incidência menor a 1 caso a cada 1.000.000 de vacinados).
3) A encefalite é raríssima, dados da OMS (1994) referem mais de 200 milhões de vacinas aplicadas com a descrição de 17 casos de encefalites temporalmente associados (4 casos em crianças menores de 4 meses).

(*) Com Grupo Otimismo; www.hepato.com

Um comentário:

  1. FOI UM CASO DE DESATENÇÃO POR PARTE DA ENFERMEIRA MESMO, POIS A MESMA DEVERIA TER OBSERVADO O CARTÃO DE VACINA LHE ENTREGUE NA HORA. QUANDO SE ESTAR EM UM AMBIENTE TUMULTUADO A GENTE FAZ MUITAS COISAS ERRADAS E ISSO PODE COMPROMETER TODO O TRABALHO. QUE ISSO SIRVA DE LIÇÃO PARA TODOS.

    ResponderExcluir