Filme Alucinação: a estréia dos filmes 100% locais

Não dá para falar no bom filme Alucinação – O Submundo das Drogas sem antes fazer uma ressalva a um outro filme que foi produzido antes mas que nem pôde ter sido lançado. Trata-se do filme da manequim e modelo Jacqueline Nery, denominado “Uma Agente em Perigo”. A ressalva aqui não se trata de destacar qualidades no filme de Jacqueline em si (até mesmo pelo fato de que ele ainda nem pôde ter sido visto pelo público), mas pela sua criatividade e ousadia. Quem primeiro teve a iniciativa de produzir um filme contemporâneo 100% local foi Jacqueline Nery, abrindo caminho para que agora chegasse o teatrólogo João Rodrigues nos dando a grata satisfação de ver estrear o Alucinação e sua proposta de transformar uma peça de teatro em longa de cinema. O filme de João chega trazendo à tela um pouco da paisagem urbana de Jataí em um roteiro recheado de drama e ação. O resultado final pode até dar a João Rodrigues o ar de cineasta, mas, acima de tudo, demonstra, mais uma vez, o valor dos artistas e intelectuais locais, que não se importam em enfrentar barreiras e dificuldades (técnicas e estruturais) para fazer filme de valor no interior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário