COMÉDIA CAIPIRA

PILHÉRIA ATÉ NA ROUPA
Com o novo show, “Baderna da Vida Moderna”, Nilton Pinto & Tom Carvalho mantém o jeito engraçado de contar piadas caipiras e mostram uma novidade: novo modelito dos personagens em novo palco em Jataí
.


JATAÍ, 3 DE JUNHO DE 2010 - A dupla de humorista caipira, Nilton Pinto & Tom Carvalho, fez sua estréia no Centro Municipal de Cultura e Eventos Dom Benedito Domingos Cóscia em Jataí com o estilo de sempre: muitas piadas cabeludas e engraçadas, jeito moleque de se comportar, paródias musicais, agilidade para mudar de personagem e quebra do texto. Com sua nova peça em cartaz, “Baderna da Vida Moderna”, a dupla goianiense esteve com dois dias de apresentações na Cidade-Abelha e, como sempre, atraiu um grande público. Nas apresentações dos anos anteriores, a dupla utilizou o auditório-teatro do Instituto Samuel Grahan (ISG). Desta vez foi em casa nova. A promoção em Jataí, novamente, foi do casal Paulo & Nelma. A produção do show é de Júnior. Este já é o quinto ano e indo para o sexto consecutivo que a promoção com os dois humoristas é realizada na cidade. Agora resta saber se haverá outra apresentação ainda na temporada 2010 em Jataí.

EXPECTATIVA - O primeiro dia da comédia foi em 2 de junho (quarta-feira), véspera de feriado. Havia uma certa expectativa pelo fato da dupla estar se apresentando, pela primeira vez, naquele local. Quando era no auditório-teatro do ISG o público fazia fila para comprar ingresso e ver os humoristas. Já no Centro Municipal de Cultura e Eventos, local construído pela administração do atual prefeito Humberto Machado (PMDB), a estrutura seria bem maior e melhor. Também havia certa apreensão política: a dupla atuou como contratada na última campanha a prefeito pelo lado do adversário da atual administração. Inclusive na comédia anterior, apresentada na cidade (“Essa Comédia É Um Show”, em 29 e 30 de maio e depois em exibição única no dia 31 de julho de 2009), questionou-se o fato do show não poder ter acontecido no até então recém inaugurado Centro de Cultura e Eventos. Mas, com essa temporada, dissipou-se a impressão inicial que havia ficado e chegou-se a conclusão que não há perseguição política. É tudo uma questão comercial: aluga-se o local e apresenta-se o show.

CHAMADAS - Cartazes e propagandas nas emissoras de TV local, além de outras chamadas na mídia, haviam sido direcionadas para comunicar ao público fiel desta nova temporada de comédia com os caipiras. Outras promoções também buscaram atrair mais gente, trabalho, este, que surtiu efeito. Antes das 21 h, horário marcado para começar o show, muitos carros já se faziam notar no estacionamento, bem como uma maciça chegada de “pacientes” (pessoas que se submetem à terapia do riso com Nilton Pinto & Tom Carvalho). Uma comissão de frente formada pelas voluntárias do Núcleo Regional de Combate ao Câncer recepcionava logo na entrada. A bilheteria teve menos trabalho devido às cortesias promocionais do primeiro dia. A produção do show também estava por ali trabalhando nos bastidores, ora andava para o ver o cenário, ora para ver a técnica sonora e ora ver a bilheteria. Lá dentro, no confortável e encarpetado auditório-teatro com poltronas para cerca de 800 pessoas, os assentos vagos estavam próximos de acabar e o público se entretia assistindo filmes da dupla no telão. E o fluxo continuou. Às 21h20min, o espetáculo começou e, finalmente, pôde acontecer a estréia em grande estilo. Às 22h45min o show terminou. Quem assistiu viu um cenário simples, boa iluminação, mas com uma qualidade de som que deixou a desejar.

COMÉDIA - Com a promessa de uma comédia engraçadíssima sobre modernidade e contemporaneidade, Nilton Pinto & Tom Carvalho encheu os 800 lugares do chique, porém frio auditório-teatro do Centro Municipal de Cultura e Eventos Dom Benedito Domingos Cóscia. O espetáculo, como era de se esperar, foi marcado por muitas risadas e vibração do público jataiense no reencontro com seus humoristas preferidos. No palco, Nilton Pinto demonstrou muito sofrimento com o calor das luzes dos spots. “Baderna da Vida Moderna” mostrou ser mais uma comédia com um misto de monólogo de humor e “one man show” em revezamento (e às vezes em dupla) com recheio de personagens escrachados e com muita ironia sobre a rotina de pessoas na localidade onde o show é apresentado – muitos pontos de referência da cidade em questão são citados para sustentar as piadas. Por causa do jeito espontâneo e engraçado dos humoristas, suas comédias são consideradas verdadeiras terapias para a alma. Este novo espetáculo saiu de Goiânia e está percorrendo cidades em várias regiões do Brasil. Seu texto, escrito por Nilton Pinto, e suas piadas, contém os micos mais engraçados dos shows anteriores e também mantém a escrita de levar mensagens com um fundo de lição de vida. A comédia é dividida em nove atos.

VIDA MODERNA - No Primeiro Ato, entra Nilton Pinto caracterizado e bem trajado para fazer um monólogo sobre a vida moderna e já começa brincando com as palmas do público. Suas falas de introdução são: “Segundo a Bíblia, depois que Deus fez a Terra e viu que era bom, correu lá no córrego, pegou um montinho de barro e fez o homem...” Parece até sério no início. Depois é só ironia. Ao terminar sua introdução, depois de mais de três minutos, o humorista ainda brinca para sua técnica que o calor das luzes no palco está difícil de agüentar. “Regula aí que o trem aqui tá quente”. Até disso o público riu.

No Segundo Ato, sai Nilton e entra Tom Carvalho (o farofeiro do Fantástico) trajado de um tipo bem vestido mas antiquado. É o personagem “Manelão” que fita a platéia e solta um: “Eu sou lá do Pombal” fazendo o povo cai na gargalhada (Pombal é o pequeno distrito Naveslândia em Jataí). Muito ignorante e das antigas, “Manelão” conta seus micos da vida moderna e do dia em que foi a um restaurante francês (“no mení ou no menu?”).

No Terceiro Ato, volta Nilton Pinto caracterizado como a menina Patrícia, 16 anos, piriguete (“Paty cabeça de vento”) e moradora do bairro Estrela Dalva (periferia de Jataí). Novamente risadas com a ironia. Falando com gírias, a personagem conta seus micos de adolescente baladeira, rebelde e moderninha.

No Quarto Ato, retorna Nilton Pinto como um mecânico de automóveis. O personagem conta suas desventuras e micos lamentando os avanços e a precisão da tecnologia no mundo de hoje. Aplausos do público na piada do “etc, etc”. Depois, Nilton se transforma em um cantor e solta uma paródia a lá Roberto Carlos para o público.

No Quinto Ato, novamente Nilton Pinto. Agora de loira fatal. Inclusive essa personagem é a mesma de uma peça anterior. “No show passado fiz tanto sucesso que me convidaram para voltar”, fala com ironia para a platéia. A personagem conta suas mancadas dizendo que casou e se mudou da roça para a cidade (Portelândia), que se atrapalhou toda no elevador do prédio e que sofreu para se acostumar com o ritmo da “cidade grande”. Provoca muita risada quando conta da vez que fez uma “depilação selvagem” e que virou prostituta on line na internet. No final entra em cena Tom Carvalho como galanteador. A loira sai.

No Sexto Ato, Tom Carvalho, que já estava em cena permanece. Agora ele é um homem comum que fala da tecnologia atual e de sua influência na rotina de marido e esposa. O personagem ainda canta uma paródia: “Vida de Casal” (baseada na música “Ciumenta” de Bonni/Belluco, interpretada por César Menotti & Fabiano) acompanhado de palmas.

No Sétimo Ato, é a vez da dupla. Primeiro entra Nilton Pinto como uma trabalhadora executiva: Raquel. Depois entra Tom Carvalho como seu marido doméstico: Reginaldo. Essa encenação, inclusive, é o tema da peça (Comédia da Vida Moderna). O personagem de Tom brinca com a executiva: “...Então saia nas ruas de Jataí para você vê o tanto que a mulher está emancipada!! Vai lá no clube 13 de Maio, vai!!” O público quase se desmancha de rir (o Clube Municipal 13 de Maio é onde se realiza festas, inclusive os populares Bailes da Saudade aos finais de semana). A dupla ainda brinca com as linguagens (substantivos) tecnológicos e digitais e improvisam no texto final.

No Oitavo Ato, Tom Carvalho transveste, perante as vistas da platéia, num velhinho de 89 anos. Ele agora é um aposentado que reclama das filas e do atendimento na clínica médica durante as consultas.

No Nono e último Ato, é a vez da tradicional dupla de compadres caipiras no banco que sempre fecha os shows. Os dois se revezam para contar piadas, algumas cabeludas, outras desastradas, mas todas muito engraçadas. Fizeram o público rir muito com a piada da Kombi e a do urso polar no Rio Araguaia e ainda fizeram mais uma paródia musical. No final, deixaram uma mensagem ao público e sortearam brindes de patrocinadores.

Encerrado o show, foi a vez da dupla trocar de roupas e correr para a recepção do Centro de Cultura e Eventos para autografar a vendagens de seus CDs e DVDs e ainda posar para fotografias ao lados dos fãs. Parte da renda do show foi destinada aos trabalhos assistenciais do Núcleo Regional de Combate ao Câncer de Jataí.













NA QUINTA-FEIRA, DIA 3 DE JUNHO:







ENTREVISTA COM NILTON PINTO & TOM CARVALHO

CONCEDIDA LOGO APÓS A ÚLTIMA APRESENTAÇÃO NO DIA 3 DE JUNHO DE 2010.

ALVO NOTÍCIAS: Tom Carvalho, vocês acabaram de se apresentar, pela primeira vez, aqui no Centro de Cultura e Eventos Dom Benedito Domingos Cóscia. Qual a diferença que tem daqui para o outro endereço (no Instituto Samuel Graham-ISG)?

TOM CARVALHO: A diferença é que aqui acomoda melhor às pessoas e é um espaço digno para que se possa sentar e assistir. Tem o palco maior e com uma capacidade melhor de visão e onde se pode montar melhor o cenário, enfim, ajuda em tudo. A acústica é outra coisa porque ela é própria pra isso, para apresentações como a nossa e para eventos culturais de um modo em geral. Acho que Jataí está de parabéns por um espaço como este para artistas que vêm de fora e para fomentar a cultura local! Eu acho isso muito bacana.

ALVO NOTÍCIAS: Você elogiou, mas você é um artista que tem muitas paródias e que apresenta muitos musicais nos shows. A acústica, no caso, o som ajudou?

TOM CARVALHO: Muito, ajuda muito. É o que eu lhe falei. Na medida em que se faz o som próprio para isso ela ajuda em tudo. Eu falei da parte cultural de um modo em geral: da fé cênica e da interpretação da música. Tudo ajuda, com certeza.

ALVO NOTÍCIAS: Tiveram alguma dificuldade para virem se apresentar aqui?

TOM CARVALHO: Não. Nenhuma. De jeito algum. Foram os nossos produtores quem arrumaram o local, porque a gente, mesmo, nem sabia - é porque viajamos o Brasil inteiro. Daí eles falaram que, desta vez, seria aqui. Falei: “ah, que ótimo”. No ano passado (2009) a gente iria se apresentar aqui, mas ainda não estava pronto. Quando viemos estava terminando a construção (*). Muito bacana.

ALVO NOTÍCIAS: Nilton Pinto, você é uma das pessoas que mais fizeram observações com relação à parte técnica. Ontem (no dia 2) a luz estava muito quente?

NILTON PINTO: Eu acho que a engenharia não pensou nos atores. Colocou, a dois metros acima da cabeça a luz par. Ela queima, torra. Não há quem agüente. São 2.000 watts de cada uma, então, como são várias lâmpadas, são mais de 20.000 focos na cabeça. Mas, hoje (dia 3) resolvemos esse problema com as nossas luzes. O espaço ficou maravilhoso. Queremos dar os parabéns ao prefeito por ele ter tido a idéia de valorizar a cultura de Jataí. Se todos os políticos pensassem assim às cidades cresceriam e isso seria bem melhor, pois, a população teria mais cultura e mais desenvolvimento. Jataí está de parabéns!

ALVO NOTÍCIAS: Na parte de sonorização, hoje (dia 3) houve problema com microfonia (em plena apresentação). Como você avalia a parte do som?

NILTON PINTO: O som tem que ser mais bem distribuído. Nós temos um som muito bom, mas não colocamos devido a este daqui do local. Mas é um som que, em se corrigindo, dá para se fazer. É só uma questão de se ajeitar ele no lugar certo.


(*) Na verdade, a peça apresentada pela dupla no ano passado foi “Essa Comédia é Um Show”, exibida, pela primeira vez na cidade, nos dias 29 e 30 de maio e depois em noite única no dia 31 de julho de 2009, no ISG. O Centro de Cultura e Evento Dom Benedito Domingos Cóscia foi inaugurado no dia 3 de junho de 2009, portanto, da primeira vez, realmente, as obras ainda não haviam sido concluídas, mas, da segunda vez, o centro de cultura e eventos já havia sido inaugurado há quase dois meses.


BADERNA DA VIDA MODERNA
-TEXTO: NILTON PINTO
-DIREÇÃO E INTERPRETAÇÃO: NILTON PINTO & TOM CARVALHO
-INGRESSOS EM JATAÍ: R$ 40,00 (INTEIRA) E R$ 20,00 (MEIA)
-LOCAL: CENTRO DE CULTURA E EVENTOS

Um comentário:

  1. posta a peça teatral a morte em falas seperadas para a galera q auer

    ResponderExcluir