POLOZI CAI

(Foto: Sérgio Torres - arquivo)

Treinador não é mais técnico da Jataiense. Demissão aconteceu após declarações sobre a derrota da raposa verde para a Aparecidense na quarta-feira, 15. Polozi é o segundo técnico a deixar o time na competição. O primeiro foi Felício Cunha que abandonou sem dar maiores satisfações a diretoria. Roberto Fissore, diretor de Futebol Profissional, assume comando técnico pela segunda vez e dirige Jataiense no clássico do Sudoeste com o Mineiros, neste domingo, 19, às 16h no Arapucão em Jataí.


Leandro Alves, artilheiro, também sai
(Foto: Sérgio Torres - arquivo)

Ele entraria como titular para enfrentar o Mineiros fazendo dupla com Fabinho no ataque. Entretanto, com seu pedido de dispensa, Leandro Alves, também chamado de Romarinho, o habilidoso artilheiro da Jataiense na Divisão de Acesso 2010 (até a segunda rodada do Primeiro Turno desta Fase Final), acabou virando dúvida e não deverá jogar no domingo, 19. O atacante, que apesar de destaque do time, vinha servindo apenas de opção no banco de reservas pelos dois treinadores que passaram pela raposa verde (Felício Cunha e Polozi) fez declarações à imprensa local:


“Dúvida não. Acho que já está quase certo de que não participo do jogo. Estou muito feliz na equipe da Jataiense, fiz o meu melhor que pude aqui. Então acho que o grupo continua fazendo o que a gente já vinha realizando que são as vitórias aqui dentro de casa. Eu incentivo bastante para todo mundo superar as dificuldades que a gente vem passando. Desejo boa sorte ao Roberto (Fissore), nosso treinador, ao Ayalan (presidente), um cara esforçado e que corre atrás... ‘Ninguém’, entre aspas, ajuda. Precisava do prefeito, dos vereadores... Tomara que a gente possa ir... Estou torcendo para que a equipe possa ir... Estou muito feliz jogando aqui dentro deste Arapucão. Vamos dizer, um dos gols mais bonitos que fiz foi aqui. Tomara que a equipe possa continuar no mesmo caminho aqui e com a mesma dedicação para não deixar a bola cair”.

Leandro Alves recebeu uma proposta e está de saída para uma equipe do Sul do País.

“É time de Porto Alegre. Tem time que já me apresentou desde a semana retrasada e era para ter-me apresentado lá. Têm várias coisas aí que fiquei esperando e que tem que analisar... O grupo... Eu fui lá diante da Aparecidense... Têm outras propostas também de times aqui da Primeira Divisão, tanto o Morrinhos quanto de duas ou três equipes aí que me querem. Então,vou pra lá agora e não sei se volto ano que vem para Goiás. Está tudo conversado e certinho, então eu vou. A única coisa que parabenizo é a torcida que sempre apoiou... As amizades que fiz aqui em Jataí e tomara que possa continuar esse time aí por muito e muito tempo, que não possa deixar cair e que possa ficar brigando pelo acesso. Tem que haver um incentivo de toda a rapaziada e dos torcedores”.

O atacante, mesmo servindo de opção no banco, é o artilheiro da Jataiense com seis gols e agora deixa os companheiros com a responsabilidade de também marcarem gols.

“Eu deixo a Jataiense. Não deixo os companheiros, nunca. Apareceu uma proposta melhor pra mim, não em termos de dinheiro, já que vou ganhar menos lá do que aqui. Não é questão que eu seja mercenário e tudo mais... Tenho seis gols pela Jataiense... Um dos mais bonitos que fiz em minha carreira... Fui muito feliz aqui dentro do Arapucão, muito contente e saio de cabeça erguida por tudo que já fiz e pelo que ainda vou fazer... Agora deixo os companheiros para fazerem os gols... Olhando por esse lado, tomara que eles também possam achar o caminho das redes para poder levar a Jataiense aonde ela merece”.

Leandro Alves elegeu o gol que achou o mais bonito.

“Têm vários. Teve contra o Goiânia, tem o próprio gol contra o Goianésia que foi bonito e que fiz uma tabela com o Paraná. Aqui dentro do Arapucão, como já disse, aqui é minha casa e aqui me sinto a vontade jogando nesse gramado. Que eu possa continuar assim e voltar algum dia a fazer gols... Sempre torço pela Jataiense, torço pelo Roberto, torço pelo Ayalan que é um cara que briga pela gente e que tenta buscar recursos e sou muito feliz. Só tenho a falar que aqui dentro do Arapucão fui muito feliz”.

19/09
PRESIDENTE AYALAN DIZ QUE MOTIVOS FORAM OUTROS
O presidente da Jataiense, Ayalan Borges, contradisse o jovem jogador Leandro Alves (22 anos) e revelou que os reais motivos de seu afastamento do time não foram por causa de contatos com outras equipes. Segundo Ayalan, em entrevista a uma rádio de local, o jogador foi afastado do elenco por motivos de indisciplina, já que ele estaria se comportando de forma inadequada com exagero em bebida e farra até altas horas.


Trabalhos da véspera mostraram escalação
Time treinou no sábado, 18 no estádio Arapucão. Jogadores estiveram reunidos no centro do gramado com o novo técnico Roberto Fissore para ouvirem a proposta de fechar o grupo em torno dele. Raposa verde fez treinamento técnico coletivo na tarde da sexta-feira, 17, e foi formada pela seguinte escalação principal: Ricardo “Dida” (gol), Alexandre, Dias e Mateus (defesa), Alan (lateral direita), Thiago, Paraná, Leandro Marangon (meias) e Bagago (lateral esquerda) e Fabinho e Leandro Alves (atacantes). O centroavante titular, Douglas Richard, está suspenso cumprindo o terceiro cartão amarelo e desfalca diante do Mineiros. Com a saída de Leandro Alves, fica a dúvida sobre quem entra no ataque uma vez que Wellington, Rui e alguns jogadores brigam pela vaga.

MOVIMENTAÇÕES – Além da saída do técnico Polozi, o zagueiro Amarildo, titular, pediu dispensa e não faz mais parte do elenco da Jataiense. Na sexta-feira, 17, o volante Henrique esteve tratando no Departamento Médico, mas voltou aos trabalhos físicos no sábado pela manhã. Os ingressos para o jogo com o Mineiros, que voltaram a fazer parte da promoção prefeitura (troca por cupons fiscais) foram colocados à disposição do torcedor a partir do sábado, na portaria do estádio Arapucão, até às 16 h, e nos postos de troca autorizados.


Presidente esclarece motivo da queda do técnico
(Foto: Sérgio Torres - arquivo)

Falando a imprensa local, neste sábado, 18, o presidente da Jataiense, Ayalan Borges voltou a agradecer o esforço e empenho do presidente da Câmara Municipal (Gênio Eurípedes) e do prefeito Humberto Machado em continuar a promoção da aquisição de ingressos por parte de Poder Público (troca por cupons fiscais) nos jogos da Jataiense em casa. O projeto passou por nova votação em sessão do Legislativo e Ayalan fez questão de nominar os vereadores que votaram por sua continuidade:

“Tivemos, desta feita, apenas três vereadores que... O Pastor Luiz Carlos que estava viajando e não foi, o Adilson Carvalho que se negou a participar da reunião, mas não tem problema e também o Marcos Antônio que foi avisado e não compareceu. Os demais, todos foram a favor e agradecemos a todos eles, ao senhor João Rosa, a Vilma Feitosa, ao Ediglan Maia, ao Gênio Eurípedes, ao Mauro Filho... Quem mais? Ao Geovaci Peres... Ao Nelson Antônio. Então a eles nosso muito obrigado, em nome da torcida da Jataiense. Inclusive, muitas pessoas falam: ‘Ah, tem que ajudar’... Pois têm que ajudar todos!! Mas no momento, inclusive, nós agrademos a esses vereadores pela sua participação neste projeto”.


Sobre a demissão do técnico Polozi, o presidente explicou:
“Foi uma situação que ficou insustentável, tendo em vista que algum blog (??) e também pelas entrevistas do próprio treinador, não sei se ele foi interpretado de forma diferente, mas eu ouvi e interpretei bem e achei que um comandante, que é o cabeça de uma equipe, não poderia se portar daquela maneira. No meu entendimento, ele foi infeliz em suas declarações, provando, naquela oportunidade, que o ‘mercenarismo’ estava acima de qualquer coisa. Mas quanto a pessoa do Polozi eu não tenho nada contra, apenas às declarações que criou uma situação insustentável dentro do grupo, situação essa, pela qual resolvemos tomar essa decisão e que é normal dentro do futebol. Sabe-se que o grupo de jogadores estava chateado com relação a isso, jogadores chamados de ‘juvenil’ de ‘semi-profissionais’, de não sei mais o que e pá pá pá! E com relação a questão de folha de pagamento, ele quer medir, jogar, transferir a culpa para os jogadores. Isso não é atitude correta na nossa opinião. Então achamos por bem, conversar-mos e está tudo certo. Resta, agora, fazer-mos o pagamento pra ele..."


Com relação à ascensão do diretor Roberto Fissore ao comando técnico do time, o presidente falou:
“Já assumiu. Comandou o treino hoje pela manhã (sábado, 18) e vai até o final e... Esperamos que os jogadores... Que ontem nós... Eu sempre disse aos jogadores com relação à forma que sairia o pagamento e levei ontem o Douglas (Richard), o Dias (zagueiro) e o Romarinho (Leandro Alves) para verem como era a situação. Aí eles, enfim, viram que eu realmente estava... E sempre fui correr atrás da situação para que pudessemos regularizar essa folha de pagamento e eles viram que eu não estava blefando, mentindo e tampouco, enrolando eles em situação do pagamento. Mas está tudo resolvido. Segunda-feira já sai a metade da folha e no próximo jogo com a Aparecidense (em Jataí) sairá o restante para podermos quitar isso aí”.


Referente ao que pode ter sido "um tom intranquilizador" nas falas aos jogadores por parte do técnico Polozi no vestiário durante o intervalo do jogo Aparecidense 3x1 Jataiense, quando a partida estava empatada em 1 a 1, Ayalan também declarou:
“Pode até ter sido isso, mas o jogador ter brio, ter vergonha, ter dignidade e ser HOMEM, pra ele isso entra em um ouvido e sai pelo outro, porque jogador não pode ‘ahh!’ ser igual moça não! 'Ah, porque o treinador me xingou eu vou ficar'...Nada! De forma alguma! Ele tem que fazer a parte dele para depois cobrar, correto? Então eu entendo que não foi por isso. Foi por outras questões aí que nós já estamos, inclusive, tomando providências, no sentido de também, cortar o mal pela raiz para que possamos, quem sabe, até conseguir aí, o acesso a Primeira Divisão”.

O elenco estaria abalado emocionalmente? O presidente falou:

"Veja bem... Eu conversava ontem com o Douglas (Richard) e com o Dias (zagueiro) que são dois dos jogadores que foram comigo até a Câmara Municipal... Eles sim tem experiência. Eles assimilaram bem. Qualquer treinador xinga à beira do campo, fala a m.. que tiver que falar por lá, mas, daí, vai da assimilação de cada um, da experiência. Um jogador novo, as vezes, abala emocionalmente, mas, os mais experientes, sem dúvida alguma, não estavam nem aí e foram jogar futebol. Só que jogador, quando quer, derruba treinador”.
Ayalan ainda completou:
“Eles colocaram uma situação e imaginaram que eu estivesse enrolando. ‘Vem aqui tal dia que tal dia sai e coisa e tal’. Eles sugeriam e eu disse: 'então formar uma comissão para que a gente vá'... Então eles foram e viram a realidade como é que é. Certos elementos do grupo, que depois eu vou tomar as providências, que cobram e estavam cobrando, são os mais ‘lambanças’ que têm. Então, o jogador que cobrou as coisas, fica fazendo coisa errada nas costas por ai. O cara tem que ser homem como eu fui. Botei minha cara a tapa e falei: ‘vai assim e assim e assado e vai acontecer dessa forma’. Se não houve como passar o dinheiro naquela situação, pelo menos eu não estava ali mentido para jogador. Segundo me disseram alguns são pais de família, têm compromissos... Eu sei disso! E depois nas costas faz outra coisa? Fica até 2 h ou 3 h da manhã por aí? Tem que tomar é vergonha na cara e ser mais homem, chegar e assumir a condição de culpa que tem no cartório”.

Teria jogador agindo com indisciplina fora de campo? O presidente respondeu:
“O detalhe é que na vida aquilo que a gente planta a gente colhe. O jogador que quer ser jogador de futebol, ele... Eu lembro um exemplo raro e fácil de entender: o Reidner (Lopes) saiu de Jataí como um cidadão que poderia se dizer ‘é mais um que vai’. Ele representou bem, tanto Jataí, quanto a família dele e o tanto o Goiás (Esporte Clube) quanto o estado de Goiás pelo Brasil afora. Por que? Era um cidadão e até hoje ainda é: dedicado, responsável e que se cuidava fora de campo. ‘Jogadorzinho’ que fica aí e faz isso e aquilo e toma 200 e mais alguma coisa depois do futebol, não vira jogador e tem que trabalhar é de peão porque não vai virar nada. Essa é a minha opinião. Então não estou dizendo que isso está acontecendo no grupo. Digo de uma situação em que o jogador, quando quer ser jogador de futebol, ele vai em busca de seu sonho, correto? Se ele não se cuidar e não tiver responsabilidade e ainda vier dar uma de moralista e daí quando quando se vai ver, por trás... A couraça é totalmente diferente”.

Perguntado se ainda acredita na classificação, Ayalan respondeu:
“Acredito. Continuo acreditando, depende somente da Jataiense e das próprias forças. Digo isso porque tem confronto direto”.

A equipe de esportes do programa do presidente Ayalan Borges, fez um rápido cálculo matemático e chegou à conclusão de que seria melhor, tanto a Jataiense quanto o Mineiros, torcer para o Goianésia (líder até a segunda rodada) bater a Aparecidense na terceira rodada (dia 19) e disparar na pontuação. Ayalan respondeu a eles:
“Só que tem um detalhe. Eu também penso dessa forma, só que o Goianésia vem caindo, começou a declinar. Levou um sufoco do Mineiros lá (em Goianésia no jogo anterior, dia 16) e aqui em Jataí também. Então começou a cair e a gente não pode prever nada. Na teoria tem que torcer, mas não é assim, pois o time da Aparecidense, também é tinhoso”.
E Ayalan complementou sua resposta:
“O que estamos colocando é teoricamente porque a situação pode ser totalmente ao contrário. Como? A Aparecidense pode bater o Goianésia e depois bater de novo (jogo de volta no segundo turno) e o Mineiros vai lá e dar uma ‘tunda’ na Aparecidense... Quer dizer, tudo pode acontecer. Está aberto o campeonato. Igualmente, muitas pessoas as vezes coloca: ‘ah, perdeu duas agora acabou’. Não! Está tudo em aberto. Quem ganhou duas, agora pode perder quatro em seguida ou pode perder duas. Quem perdeu duas, pode ganhar duas. Quanto à dificuldade, ela existe desde o início e até antes mesmo de perdermos as duas primeiras (desta fase final). Então, a questão é que está aberto o campeonato. Quando se falar que, na questão matemática, já não existir mais possibilidade, aí tudo bem, mas, enquanto existir a possibilidade ela é válida".

CLIMA

E o clima no grupo com esses acontecimentos? Como estaria ficando? Será que estaria carregado ou estaria tudo normal? Ayalan falou sobre como ele está vendo a questão da união entre os jogadores, fato visível nos trabalhos em Jataí. Será que estaria havendo negatividade?
“Isso não deixa de existir. Onde existe um grupo com várias personalidades isso (negatividade) não deixa de existir. Na reunião que tive ontem (sexta-feira, 17) com os jogadores, eu falei: ‘olha, a Jataiense era um grupo alegre e hoje é um grupo triste e joga um futebol triste’. Citei alguns jogadores. Agora, se os jogadores se fecharem e disserem ‘nós vamos!’, vão. Então eles viram que não estou largando ou deixando. Não tem ninguém largando e nem deixando. Eu corro atrás da parte administrativa para sair o ‘cascalho’ (dinheiro do pagamento) para o pessoal. Existe alguma coisa negativa, mas eu tenho certeza de que o grupo vai superar tudo isso, vai vencer o Mineiros amanhã, normalmente e vamos em busca de mais um resultado lá na cidade de Mineiros (no jogo de volta do segundo turno). Tenho certeza de que os jogadores vão assimilar isso porque nós temos, aí, o dever e a obrigação de vencer em casa o time do Mineiros amanhã (dia 19). Se não ocorrer também paciência. E vamos convocar, mais uma vez, o torcedor, para comparecer e nos ajudar, torcer e incentivar”.

Ayalan ainda opinou de que o outro jogo da rodada do domingo (dia 19), entre Aparecidense e Goianásia, será aberto, corrido e sem favoritismos. Entretanto, ele apontou que pode haver uma pequena vantagem em favor da Aparecidense que joga em casa. Na primeira fase houve empate entre essas duas equipes. Também tem a questão do campo pequeno de Aparecida de Goiânia, aonde o time da casa joga na defesa explorando contra-ataques.

Perguntado a respeito da existência do chamado “apito amigo” por parte da Federação Goiana de Futebol-FGF, que, no modo de entender dos clubes mais distantes da capital, a entidade preferiria contar com os times mais próximos para evitar as longas viagens ao interior. Nesse caso, a FGF desejaria a ascensão do time da Aparecidense, que fica bem ao lado de Goiânia e do Goianésia, distante a 170 km, diferente dos dois times do Sudoeste (Jataiense a 320 km e Mineiros a 420 km). Isso, sem contar, claro, os maiores investimentos e mais motivação de Aparecidense e Goianésia para essa Divisão de Acesso. A própria torcida da Jataiense e o diretor Roberto Fissore acreditam que a arbitragem só apitaria intencionando prejudicar a raposa verde do Sudoeste, tanto dentro como fora de casa, fato gerador de protestos e xingamentos a todos os árbitros no encerremento das partidas. Ayalan Borges respondeu:
“Nos dias de hoje isso não existe mais. Isso é sonho. São comentários maldosos. Eu não acredito, de forma nenhuma, que um cidadão saia da casa dele para chegar e prejudicar um grupo de pessoas que estão trabalhando. Errar, um cidadão erra porque é humano. São erros normais de arbitragem que acontecem por aí. Então não acredito que isso aconteça. Quem tiver a boca maior é que vai engolir o outro e pronto. Que a Jataiense faça a pontuação a acabou”.

E se a Jataiense conseguir retornar para a Primeira Divisão do Goianão? Como serão os trabalhos no clube já que no próximo mês de outurbro a FGF irá soltar a tabela do campeonato de 2011 que já começa em janeiro? Os atuais diretores irão permanecer? O presidente falou:
“Inclusive eu conversava agora pela manhã (dia 18) com o nosso prefeito Humberto e ele me disse que, mesmo que não subir, o ano que vem a ajuda vai ser melhor para a Jataiense, porque esse ano (2010) estamos em um ano muito difícil, de Eleições e tudo mais e é muito complicado em outros segmentos da sociedade para se ajudar também, mas, no ano que vem vai ser melhor. Eu falei: ‘olha, então você vai ter que começar a pensar em uma nova diretoria porque a minha encerrou no final desse ano’. Ele me falou: ‘quem sabe então você não se candidata a reeleição?’ Falei: ‘você está querendo que eu fique é sortero? Neinn!!’ (risos)”.

Fica aí a questão: se Ayalan Borges não vai querer ser reeleito presidente da Jataiense (presidir a raposa verde era seu grande desejo antes desse senho acontecer), o que então teria faltado a ele para que o mesmo pudesse ter feito um trabalho melhor na direção do clube? Ayalan respondeu:
“‘Cascalho’ (dinheiro em caixa)! O que manda infelizmente no futebol ou felizmente, não sei, é o ‘cascalho’, aliás em quase tudo na vida. ‘Cascalho’, dinheiro, ‘bufunfa’ igual lá no Goianésia que tem e está sobrando! Lá em Aparecida tem e está sobrando! Mas, mesmo com esses fatores, nós temos uma folha de pagamento enxuta. Nossa folha de pagamento é de R$ 63 mil hoje. A do Goianésia é R$ 280 mil, a da Aparecidense é quase R$ 300 mil, fora a premiação de R$ 30 mil e de R$ 70 mil que a Aparecidense ganhou e que já está disponibilizada e também o Goianésia. Mas isso são fatores que lá eles têm hoje. Nós temos é que procurar vencer e aí pronto. Vamos vencer os medalhões. Se isso não acontecer, pelo menos o trabalho fizemos e tenho certeza de que no ano que vem nós teremos o apoio (??) e aí vamos apoiar também a diretoria que assumir”.


Campeonato Goiano 2ª Divisão 2010

70 Jogos Realizados
201 Gols Marcados
119 Gols Feitos pelosTimes Mandantes
82 Gols Feitos pelos Times Visitantes
2,87 Média de Gols


CLASSIFICAÇÃO:
 
1º ) Goianésia (Clas. p/ a Fase Final) 
2º ) Aparecidense (Clas. p/ a Fase Final)
3º ) Mineiros (Clas. p/ a Fase Final)
4º ) Jataiense (Clas. p/ a Fase Final)
5º ) Iporá
6º ) Inhumas
7º ) Anápolis
8º ) Nerópolis
9º ) Goiânia
10º ) Rioverdense
11º ) Cristalina (Rebaixado à 3ª Divisão/2011) 
12º ) Novo Horizonte (Rebaixado à 3ª Divisão/2011) 


Classificação da Fase Final:
1º) Goianésia  6 - 2 - 0 - 0 - 4 - 2 = +2
2º) Aparecidense 4 - 2 - 1 - 1 - 0 - 4 - 2 = +2
3º) Mineiros 1 - 2 - 0 - 1 - 1 - 2 - 3 = -1
4º) Jataiense 0 - 2 - 0 - 0 - 2 - 2 - 5 = -3


Principais artilheiros:
1º) Nonato (Goianésia) 13 gols.
2º) Raphael Luz (Inhumas), Washington (Nerópolis) e Leandro Alves (Jataiense) 6 gols.
3º) Rodrigo Aires (Iporá), Gil (Mineiros) e Júlio César (Goianésia) 5 gols.


Fase Final (1º Turno):
1ª) Rodada:

12/09 Dom 10:10 Jataiense 1 X 2 Goianésia (Arapucão-Jataí)
12/09 Dom 16:00 Mineiros 1 X 1 Aparecidense (Odilon Flores-Mineiros)

2ª) Rodada:
15/09 Qua 20:15 Aparecidense 3 X 1 Jataiense (Anibal Batista de Toledo-Aparecida de Goiânia) 
16/09 Qui 20:30 Goianésia 2 X 1 Mineiros (Valdeir J. de Oliveira-Goianésia)


3ª) Rodada:

19/09 Dom 10:10 Aparecidense X Goianésia (Anibal Batista de Toledo-Aparecida de Goiânia) 
19/09 Dom 16:00 Jataiense X Mineiros (Arapucão-Jataí)


Fase Final (2º Turno)
1ª) Rodada:
26/09 Dom 16:00 Goianésia X Aparecidense (Valdeir J. de Oliveira-Goianésia)
26/09 Dom 16:00 Mineiros X Jataiense (Odilon Flores-Mineiros)

2ª) Rodada:
29/09 Qua 20:00 Mineiros X Goianésia (Odilon Flores-Mineiros)
29/09 Qua 20:30 Jataiense X Aparecidense (Arapucão-Jataí)

3ª) Rodada:
10/10 Dom 10:10 Aparecidense X Mineiros (Anibal Batista de Toledo-Aparecida de Goiânia) 
10/10 Dom 10:10 Goianésia X Jataiense (Valdeir J. de Oliveira-Goianésia)


Nenhum comentário:

Postar um comentário