sábado, 9 de abril de 2011

ACERTO FINAL DE CONTAS COM A ESCOLA



     O atirador e assassino da escola Tasso da Silveira no bairro Realengo no Rio de Janeiro cometeu o crime de pura safadeza e maldade. Com genética de doença mental, Wellington Menezes de Oliveira desenvolveu seu lado maligno e não se relacionava com as pessoas porque não gostava de gente e era frio e calculista. Aos 15 anos (em 2002) teve seu pior momento na escola Tasso da Silveira ao ser vítima de gozação e rejeição por parte de vários colegas e da turma de recuperação. Era seu último ano do ensino fundamental. A partir daí ficou fã dos terroristas do atentando às Torres Gêmeas (11 de setembro de 2001) e chegou a falar em também derrubar um avião na estátua do Cristo Redentor. Doente sem tratamento, passou a frequentar a igreja protestante Testemunhas de Jeová só para disfarçar esse seu lado negro. Descobriu a internet e o jogo de computador Counter Strike (CS) e desenvolveu seu instinto de atirador (havia descoberto uma outra forma mais prática do que derrubar uma avião na imagem do Cristo). Ao perder seus pais adotivos, sentiu que o mundo era um lugar inóspito para ele e resolveu se despedir em grande estilo. Como usava muito a internet (e, provavelmente, também fazia uso de altas doses de drogas) para pesquisar, fazer leituras de temas religiosos, aproveitou para tirar dalí o que precisava para seus planos sórdidos. Usou sua inteligência para o mau e aprendeu tudo que precisaria para cometer um ato impactante, punitivo e "purificador": armas, recarregamento de munição, além de ler sobre os crimes já cometidos por outros atiradores em outros países. Até sobre o ritual terrorista de 11 de setembro ele aprendeu. Então, aflorou seu ódio da escola e planejou com frieza e extrema crueldade seu atentado. Escolheu covardemente suas vítimas e deu preferência as meninas virgens como forma de castigar as mulheres por tê-lo rejeitado e deixado-o casto. Ele queria terminar seus dias ali. Deixou uma carta comprovando toda sua maldade, presunção e indiferença com as pessoas ao dizer do respeito que deveria ser dispensado a seu corpo morto e como deveria ser tratada sua casa (que ele mesmo bagunçou na despedida para que ninguém mexesse em suas coisas). Os únicos seres que ele parecia gostar era de animais de estimação (apesar de não ter nenhum) os quais prezava muito mais do que os seres humanos.

VIDENTE DIZ TER PREVISTO O CRIME E QUE ENVIOU AVISO A ESCOLA

VEJA TAMBÉM O MASSACRE
(ALIÁS, NÃO VEJA!!)


Nenhum comentário:

Postar um comentário