Humberto Machado analisa sua gestão em 2014


    Em uma matéria da Rádio Difusora AM, no programa Rádio Jornal Difusora, levada ao ar nesta sexta-feira, 2, após às 11 h, o prefeito de Jataí, Humberto de Freitas Machado, fez algumas análises de sua gestão no ano que passou e falou do momento que a cidade está atravessando. Contundente em suas falas, o prefeito disse que a cidade não precisa, simplesmente, só crescer por crescer, mas sim melhorar sua qualidade de vida para ser destaque e ter importância no cenário estadual e até nacional. Seu pensamento foi claro: “Crescer não significa ter de deixar cair a qualidade administrativa. Crescer significa que a cidade tem que melhorar em si, e não apenas inchar sua população piorando sua qualidade de vida”. Humberto Machado ainda analisou outros aspectos, como a parte econômica, o aumento na taxa do IPTU, o avanço da cidade no Índice de Desenvolvimento Humano-IDH e ainda explicou os motivos da troca do secretário Municipal de Educação quando substituiu Rodrigo Franco por Izildinha Borba.

Resumo da análise do prefeito:

Crescimento econômico:
    O prefeito disse que Jataí cresceu quase 9% a nível estadual superando outros grandes municípios.

Mudança na pasta da Educação:
    A mudança foi motivada para se abrir um espaço maior à área pedagógica e tentar melhorar as notas das escolas municipais no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica-IDEB. Dessa forma, Rodrigo Franco de Carvalho acabou sendo substituído por Izildinha Divina Borba Carvalho, pois essa teria o perfil mais adequado para a pasta, vez que a escola onde ela era diretora, a Escola Municipal Leopoldo Nonato de Carvalho, teve a melhor nota no IDEB em Jataí com 7.2, sendo essa, também, uma das maiores do estado. Com essa mudança, uma alteração hierárquica quase que geral acabou ocorrendo nos quadros da Secretaria Municipal da Educação-SME.

Aumento na taxa do IPTU:
    O aumento na taxa do Imposto Predial e Territorial Urbano-IPTU em 2014 foi motivo dos maiores protestos e até de demanda judicial devido a alguns reajustes terem chegado aos 800% em Jataí. O prefeito explicou que foi a inflação o motivo de tamanho reajuste, pois, as contas da Prefeitura teriam aumentado muito devido a rejustes de salários dos servidores, prestadores de serviço e de consumo de materiais. Essa medida teria sido para se evitar risco de colapso do Poder Público e paralisação de serviço básico de manutenção. Para o prefeito, a cidade, hoje, depende muito da Administração Pública em todos os sentidos e isso faz o orçamento ficar apertado.

Boa colocação no IDH:
    A cidade de Jataí está na 5ª posição entre os municípios goianos no Índice de Desenvolvimento Humano-IDH e na 420ª a nível nacional. O prefeito avaliou que isso é porque a Administração Pública vem fazendo um trabalho exemplar e investindo certo na estruturação do município com Postos de Saúde nos povoados, ampliação do hospital Centro Médico Municipal, além de deter muito boa renda per capita. Jataí também sairia na frente por gerar projetos de lagos e parques urbanísticos, realizar exploração de águas termais, possuir sistema de limpeza urbana decente, dar atenção permanente ao paisagismo urbano e atenção à zona rural com melhorias na conservação de estradas vicinais, além de possuir uma intensa atividade cultural e praças esportivas atrativas. O olhar do Poder Público voltado para essas melhorias é o que seria o ponto essencial para que tudo isso acontecesse. Humberto Machado disse ainda que o índice só não foi melhor por causa da área da Educação e das notas do IDEB.

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________



__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


Reação a assalto acaba em tiroteio. Um dos criminosos morreu.


    Tentativa de assalto aconteceu a um estabelecimento comercial, uma lanchonete tradicional conhecida como Chalana's Pastelaria, que fica localizada na Rua Deputado Costa Lima, bairro Jardim Rio Claro, em frente a Escola Municipal Leopoldo Nonato e próxima a Agência da Secretaria Estadual da Fazenda-AGENFA/SEFAZ. A ocorrência foi registrada às 23h30min da quinta-feira, 1º de janeiro de 2014.

    Tudo aconteceu quando, tarde da noite do feriado, o proprietário da lanchonete, de nome Rosivaldo Cezário de Abreu, 49, mas que atende por “Chalana”, havia se deslocado do interior de sua residência, que fica anexa, para o costumeiro preparo de massas de pasteis dentro de seu estabelecimento que estava fechado. Nesse instante, foi surpreendido com a chegada e invasão de dois elementos armados com revólveres que já o esperavam escondidos. Foi anunciado que era um assalto e exigiram dinheiro. Diante da alegação de que não tinha, os criminosos agiram com agressividade e começaram a maltratar o comerciante dando-lhes pancadas na cabeça. Câmeras de vigilância filmaram parte da ação. Em seguida, os assaltantes levaram o comerciante de volta para o interior da residência verde para continuar o assalto, dessa vez em busca de algum cofre e sempre com agressividade exigindo dinheiro: "Cadê o dinheiro, cadê?". Na casa estavam familiares do comerciante. Um grande cachorro preto estava no quintal e ficou enlouquecido. Depois de algumas rápidas vasculhadas nos móveis, um deles tentou tirar um anel do dedo da filha do comerciante mas encontrou dificuldade. Enfurecidos ameaçaram até cortar o dedo da moça. Foi então que resolveram tomar a atitude fatal: apontaram a arma para a cabeça da moça e disseram que se o comerciante não entregasse dinheiro eles iriam matá-la. Nessa hora, Chalana resolver atender. Chamou dizendo que iria pegar o dinheiro e abriu a gaveta de um mobiliário. Não havia dinheiro no móvel, mas sim um revólver 38 carregado. O comerciante, num gesto rápido e mortal, apontou a arma no coração do criminoso e disparou. Foi morte na hora. No mesmo instante também já alvejou o outro assaltante que, sentiu o disparo e também revidou. Sem se proteger, Chalana foi alvejado duas vezes na região do abdômen, popular barriga. Ele não sabia, mas teve um dos rins atingidos. O assaltante baleado ainda juntou suas forças e saiu em fuga. Alguém do lado de fora o esperava para escapar. O comerciante foi socorrido por um vizinho e levado para o Centro Médico Municipal.

    A polícia militar foi acionada. O corpo do assaltante morto foi periciado pela Polícia Técnico-Científica e recolhido pelo IML. No hospital, enquanto aguardava para se submeter a cirurgia, o comerciante e seu vizinho ficaram sabendo que um outro baleado já havia dado entrada para receber cirurgia. Esse então paciente acabou sendo identificado como sendo o outro assaltante que havia fugido do local do crime. Inclusive, o criminoso estava no hospital em companhia de parentes. Com a presença da polícia, acabou-se também identificando quem era o terceiro elemento que estava dando cobertura e conduzindo os assaltantes em um veículo Chevrolet Monza verde.

    Os assaltantes foram divulgados como sendo os irmãos, Rodolfo e Humberto de Jesus, 21, residentes do bairro Dom Abel. Humberto teria apontado a arma na cabeça da filha do comerciante e ameaçado atirar quando recebeu um disparo na altura do coração. Rodolfo foi o outro atingindo que revidou acertando o comerciante. A polícia militar fez declarações dizendo acreditar em envolvimento de um menor morador próximo do local. A delegada de Polícia Civil, Dra. Paula Daniela Ruza, é quem está à frente das investigações.


PLANTÃO, 
ÚLTIMAS INFORMAÇÕES:

02/01/2015, 15h30min - 
NÃO RESISTIU - O comerciante "Chalana" não resistiu a operação no hospital. Um de seus rins teve que ser retirado em uma cirurgia de risco. Seu corpo será velado no salão de luto da Funerária Alfaix, na Rua Dep. Manoel da Costa Lima, nº 830, setor Central. O assaltante que revidou e acabou tirando-lhe a vida ficou internado. Mesmo com cara de pessoa de maior idade, a polícia disse que trata-se de um adolescente.

02/01/2015, 15h35min - 
TENTATIVAS VIOLENTAS - Suspeita-se que os assaltantes sejam os mesmos que, neste fim de ano, desrespeitando o momento de expectativas, andaram realizando duas tentativas de assaltos a comerciantes e acabaram atirando nos mesmos sem qualquer reação. Em um atirou no pé e no outro atirou com a bala passando de raspão na cabeça. Mas ainda é investigação.

03/01/2015, 10h -
MULTIDÃO - Muita gente no velório do "Chalana". Uma multidão se aglomerou no salão social de luto e nas imediações da Funerária Alfaix, na Rua Dep. Manoel da Costa Lima, 830, setor Central, em Jataí. Alguém chegou a dizer que nunca tinha visto tanta gente naquele local.

03/01/2015, 10h5min -
TEVE VÁRIAS CHANCES - O assaltante morto na reação do "Chalana", o tal de Humberto de Jesus Silva, 21, tinha profissão com servente de obras, pedreiro, açougueiro, panificador, dentre outras. Ele tinha passagens pela polícia local e ficha criminal por tentativa de homicídio, tráfico e desacato. Também tem histórico quando era menor. Foi preso pela última no dia 15 de dezembro de 2014 de posse de um revólver com numeração raspada, o que é arma própria para crimes. Depois saiu e já foi cometer violentos assaltos na cidade até chegar nesse crime do Chalana. Chances na sociedade ele teve mas não quis aproveitar, ou seja, seus impulsos criminosos falaram mais alto. Pode se dizer que ele era um elemento do meio. A polícia havia dito que ele morava no bairro Dom Abel, mas outras pessoas revelaram que, na verdade, ele morava com seus familiares em um bairro um pouco abaixo, o Jardim da Liberdade, na região vulgarmente chamada de "Morro do Papagaio" em Jataí.

03/01/2015, 10h7min -
QUEREM COFRES - Os assaltantes desse crime são apontados como bandidos que sempre buscam por cofres.

03/01/2015, 10h10min -
FACILIDADES DE SOLTURA - O comando da Polícia Militar em Jataí disse que o aumento do número de assaltos na cidade é devido a inundação de elementos do meio e a impunidade promovida pela legislação, mais precisamente, pelo Código de Processo Penal, o ineficiente CPP brasileiro. Os elementos envolvidos são reincidentes e beneficiados pela facilidade de soltura.

03/01/2015, 10h15min -
COMO QUEBRAR A ONDA - Declarações do comando da PM local levantam outras questões. Se é verdade que há facilidade de soltura de suspeitos por parte do Código de Processo Penal brasileiro e articulações de elementos do meio para a prática de vários tipos de delitos, então por que não agir diretamente e insistentemente para desmontar os pontos de articulação? Seria preciso intervir em locais como praças públicas, bares suspeitos, festas de funk, baladas, pontos de encontros e exigir identificação de todos os motoqueiros, além de outras medidas restritivas. Entretanto, isso seria muito impopular e algo que poderia gerar protestos: haveria reclamações de que a liberdade de ir e vir estaria sendo restrita. Um exemplo é a ação da Força Tarefa da PM local que, quando age com rigor, faz cair a criminalidade em Jataí, mas acaba virando motivo de reclamação e a ação tem de recuar. A sociedade quer o fim da onda de crimes mas não quer se sacrificar. A apreensão e internação de menores envolvidos no meio também ajudaria a despencar de vez a criminalidade.

03/01/2015, 11h -
REAÇÃO NÃO. CONTRA-AÇÃO SIM - A dica da polícia, como sempre, é para que o cidadão ao se ver em uma situação de assalto a mão armada não reaja. O melhor é procurar conservar sua vida e sua integridade física, tanto sua quanto dos seus. Os especialistas em defesa pessoal também aconselham a tomar o máximo de cuidado em qualquer situação de risco. Em caso de assalto procure agir com calma e sem movimentos que possam confundir o bandido. Nessa hora ele está atento a tudo. Entretanto, se dispuser de condições e habilidade suficiente, que aja de forma consciente esperando o criminoso estar na chamada "condição de retorno", aquela em que ele já se apoderou do bem e estar indo embora, para poder fazer qualquer tipo de contra-ação. Dizem: "reação não, contra-ação sim". Espere você e os seus saírem da mira do criminoso e, se tiver no momento certo, aja com total precisão e velocidade, sempre se protegendo. Se não tiver condições não faça nada e chame a polícia o mais rápido anotando todas as características do elemento ou elementos. Descreva ao máximo. Outra coisa: sempre desconfie do envolvimento de terceiros e de pessoas com quem se teve contato anteriormente. Isso ajuda nas investigações. A orientação é dos maiores especialistas.

09/01/2015, 12h30min -
Capitão Silvio Rodrigues, da CPE de Jataí, revelou que o assaltante, Humberto de Jesus Silva, morto pelo comerciante Chalana, além de várias passagens, também é suspeito de um crime de latrocínio (roubo a pessoa seguido de morte da mesma) em cidade do Mato Grosso.