segunda-feira, 9 de maio de 2016

Anular a votação do impeachment da presidenta Dilma, isto passará?

Estamos ficando opinativos

Um presidente interino que, em um ato isolado, anula uma decisão votada em maioria durante uma assembleia, teria poder de validade ou seria só um tiro de espoleta em meio a uma guerra?

CONSTRANGENDO O LINK AO VIVO

Hilária, constrangedora e trágica. Assim pode ser definida a situação que acabou de acontecer agora a noite, às 19h20min, durante o link/flash (cobertura ao vivo) do telejornal ANHANGUERA da Organização Jaime Câmara/Globo de Goiânia cobrindo o discurso da presidenta Dilma Rousseff em palanque preparado para a inauguração do novo terminal do Aeroporto Santa Genoveva. O público que assistia assentado (alguns vestidos de vermelhos), interrompeu as falas da presidenta (ela parou de discursar e ficou só observado a situação) para gritar em protesto enquanto a repórter Patrícia Bringel fazia uma PASSAGEM (entrada falando ao microfone) tendo o evento ao fundo. Com o coro de "GLOBO GOLPISTA!!" e "O povo não é bobo, abaixo a Rede Globo!", o público se virou para o lado da câmera (alguns com cartazes) tentando atrapalhar os trabalhos do Jornal Anhanguera 2ª Edição. Ainda teve uma mulher que se aproximou e tentou falar no microfone da desavisada repórter querendo xingar a emissora. Nesse instante, a produção teve de cortar a imagem para vídeos tapes (VT) dando tempo para que a Patrícia Bringel e o apresentador se reorganizassem e tivessem jogo de cintura conseguindo contornar a situação.

Depois, a repórter confidencial que, por receio e precaução, preferiu aguardar os manifestantes se dispersarem para poder deixar o saguão do aeroporto.