TEMER E PEZÃO COM O TERMO DA “SALVAÇÃO”

Michel Temer e Luiz Fernando Pezão

O presidente da República e o governador do Rio de Janeiro assinaram nesta quinta-feira, 26, o aguardado termo de compromisso para reequilibrar as contas do estado fluminense. Michel Temer e Luiz Fernando Pezão agora estão incumbidos de enviar pacotes e projetos de leis ao Poder Legislativo (estadual e federal) e até ao Poder Judiciário. Tudo dentro do Programa de Reestruturação Fiscal. O acordo (salvador na ótica do governo do Rio) têm pontos interessantes a serem debatidos nas sessões parlamentares, como a suspensão por três anos (inicialmente) de recolhimentos de dividendos do RJ à União. Só com essa suspensão, o governo do Rio vai poupar R$ 10 bilhões por ano (R$ 30 bi nos três anos). Além disso, para molhar sua mão, a União vai ajudar com empréstimos de R$ 3,5 bilhões (também inicialmente). Assim, com os cofres muito mais tranquilos, o Rio pode voltar a achar os trilhos do equilíbrio. Em contrapartida, o governo Pezão terá de tomar algumas medidas meio amargas perante o governo Temer, dentre elas, algumas privatizações e alguns aumentos na contribuição previdenciária, dentre outras. O montante a ser economizado, só este ano, é de R$ 9 bilhões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário