/
CANAVIEIROS ALEGRES
Federação anuncia conquistas salariais
//
A FETAEG (Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Goiás) informou, ainda na semana passada que, avanço em convenção coletiva proporcionou definição do salário base dos cortadores de cana em Goiás.
/
Conforme informou o secretário de assalariados da FETAEG, José Maria de Lima, o salário base, retroativo a maio, passou para R$ 556,66 (antes era de R$ 526,00) calculado pelo índice da inflação. A federação não considera esse reajuste como sendo significativo uma vez que a entidade lutava por um aumento de 20% para compensar perdas anteriores. A compreensão se deu devido ao atual quadro de crise mundial. Apesar de o salário base ter sido reajustado para R$ 556,66, o cortador de cana ganha bem mais. Esse piso mínimo é para dar uma garantia inicial ao trabalhador canavieiro. Conforme explica a FETAEG, isso é para garantir seu sustento em situações como o dia em que ele não vai à roça trabalhar por algum motivo ou quando pega uma cana muito ruim e não consegue alcançar o objetivo. O salário de um cortador de cana é sempre bem mais que esse piso mínino. A FETAEG possui em seu quadro de federados, uma faixa de 55 a 60 mil trabalhadores canavieiros, hoje, em Goiás. Ainda conforme a federação, em convenção coletiva, a entidade conseguiu manter conquistas que os patrões queriam retirar e os trabalhadores, agora, vão ter direito a dois pares de luvas e dois pares de braceiras. Com relação a débitos de pagamentos salariais que cerca de oito indústrias canavieiras tiveram com seus trabalhadores ainda em 2008, a notícia é que os débitos já estão sendo recuperados e os salários ficando em dia. Até a usina de Santa Helena de Goiás, que estava em recuperação judicial, vem pagando em dia seus funcionários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário