Dia dos Finados 2011.
Reportagem fotográfica: Sérgio Torres


FERIADO DOS FINADOS

CEMITÉRIOS FICARAM BEM MOVIMENTADOS. REFORMAS NO SÃO MIGUEL DEU FACILIDADE DE LOCALIZAÇÃO DE TÚMULOS

Texto com informações da TV Jataí (canal 11)

Pela manhã foi intensa a movimentação de pessoas no cemitério São Miguel (o mais antigo da cidade). Em frente à capela, para acompanhar a celebração da missa aos fieis-defuntos, uma mutidão ouvia o padre e entoava cânticos religiosos. A missa começou às 8 h. A maioria das pessoas chegavam trazendo flores e velas para homenagear seus entes queridos. Após a missa, os visitantes de deslocaram até os jazigos. Ao encontrar a última morada daqueles que partiram, faziam orações e tentavam amenizar um pouco a saudade e a dor deixadas. Este ano um trabalho de mapeamento dos túmulos foi realizado para ajudar na localização das sepulturas.

Funcionários do Memorial Municipal trabalharam o dia todo do feriado tirando dúvida e ajudando a população a localizar os jazigos. “Temos um banco de dados que foi informatizado e aquelas pessoas que, há muito tempo não vêem ao cemitério (São Miguel) e queiram fazer essa visita hoje ou outro dia, basta procurar o memorial que estaremos passando a localização de seus entes queridos”, disse a diretoria do memorial, Tânia. Neste dia 2 de novembro, data criada em homenagem às pessoas falecidas, muita gente tem por hábito e tradição visitar os cemitérios para fazer orações, colocar flores e acender velas. Este ano uma área foi reservada para os vendedores ambulantes para evitar tumulto em frente ao portão de entrada. Várias tendas para a comercialização de flores e velas foram montadas. “Este ano resolvemos colocar as bancas atrás do memorial para, exatamente, deixar o trânsito livre defronte ao cemitério (São Miguel) e para as pessoas terem um melhor acesso”, explicou a diretoria Tânia. Como faz há 21 anos, seu Esmael, funcionário público, montou sua tenda para vender velas. Ele revela que aproveita a data para ganhar um dinheiro extra. “É um ‘dinheirinho’ extra para a gente recuperar alguma coisa que precisa pagar e acertar outras coisinhas. Para a gente fica mais fácil um pouquinho. Com o salário da prefeitura dá para controlar até mais ou menos, mas a gente tem que, de vez em quando, trabalhar fora. Desse jeito a gente ‘ganhar’ umas horas extras e pode se alimentar melhor e comprar as coisas que se precisa, como remédios e outros”, revelou seu Esmael.

REFORMAS NO SÃO MIGUEL - Este ano, também, quem visitou o cemitério São Miguel encontrou o local todo reformulado. A capela de São Miguel foi restaurada, o portão da entrada foi reconstruído - baseado no estilo que foi demolido em 1970 - e ainda houve um recalçamento de suas vias que facilitou sua acessibilidade. Atualmente, nele, existem 3.921 túmulos em várias quadras onde estão sepultadas personalidades locais, crianças e idosos que contribuíram para dar forma à história da cidade. “O cemitério (São Miguel), como se pode ver, foi todo reformado para podermos dar uma infraestrutura melhor para as famílias. O fluxo de gente está bastante grande, hoje (dia 2), desde às 6h30min da manhã. Eu acredito que umas 40 mil pessoas vão estar passando pelos dois cemitérios (São Miguel e Bom Pastor). Também gostaria de dizer que, em 2012, o cemitério Bom Pastor estará passando por um nova infraestrutura”, disse a diretoria Tânia.

NO BOM PASTOR - No cemitério Bom Pastor a movimentação também foi grande. Famílias se reuniram e fizeram orações em memória de pessoas queridas que ficarão guardadas eternamente na lembrança. “Fico muita satisfeita de ver o túmulo da minha amiga. Nem estava esperando. Éramos torradeiras de farinha. Também vi os túmulos de minhas filhas. Fiquei satisfeita graças a Deus!”, disse uma senhora visitante ao ser entrevistada pela reportagem. Para amenizar a dor, mãe e filha vão juntas ao cemitério. Segundo elas, isso é uma forma de manter na lembrança a memória do marido e, ao mesmo tempo, do pai que a garota perdeu logo aos 3 anos de idade. “Sempre trago ela para que não perca a memória de seu pai e que nunca se esqueça dele”, revelou a mãe. “É doloroso para aquelas pessoas que perderam muitos entes da família. Pra mim, por exemplo, foi meu pai que se foi e isso é muito doloroso. Quase nem o conheci”, revelou a filha já adolescente.


   MAIS FOTOS  



Nenhum comentário:

Postar um comentário